Projetos Internacionais

 

1) Projeto ECOFOR- Project on Biodiversity and Ecosystem Functioning in Degraded and Recovering Amazonian and Atlantic Forests

Éo principal projeto interdisciplinar totalmente financiado por uma entidade estrangeira (Inglaterra). O financiamento do projeto é da NERC para o período 2013-2018. É coordenado pelo docente Dr. Jos Barlow, da Lancaster University e conta com as participações das docentes Ima Célia G. Vieira e Joice Ferreira e visaanalisar as consequências da degradação florestal para a biodiversidade e os processos ecológicos associados e serviços ambientais na Amazônia e na Mata Atlântica. Os resultados esperados vemcontribuindo significativamente com o entendimento sobre as consequências funcionais de mudanças em comunidades de plantas e pássaros, utilizados como indicadores de biodiversidade após alterações humanas em florestas tropicais. Ressalte-se que há uma cooperação entre a University of Lancaster que permite a participação do Dr. Jos Barlow, como docente permanente do PPGCA.

 

2) Amazon Face: assessing the effects of increased atmospheric CO2 on the ecology of the Amazon forest

O Amazon FACE é um experimento de enriquecimento por CO2 de abrangência e importância sem precedentes que será implementado em uma floresta madura e primária da bacia Amazônica. O experimento irá simular a composição atmosférica de CO2 do futuro e abordar a questão: como o aumento de CO2 atmosférico pode afetar a resiliência da floresta Amazônica, a biodiversidade que ela abriga e os serviços ecossistêmicos que ela fornece?.

 

3) REFLORAMAZ - Recuperação florestal por agricultores familiares no leste da Amazônia: como melhorar o balanço entre benefícios ambientais e socioeconômicos?

O principal objetivo científico do Projeto REFLORAMAZ é identificar, com os diferentes atores envolvidos em processos de restauração florestal na Amazônia Oriental, os fatores que deverão motivar os pequenos agricultores a participarem em ações de restauração e avaliar as condições que permitem um maior equilíbrio entre serviços ambientais e benefícios sociais a partir de uma perspectiva multidisciplinar - ecológica, produtiva, social e econômica - para apoiar a definição de políticas nacionais e estaduais para a restauração. Coordenado pela profª Joice Ferreira. Parceiros: CIRAD, França; University of Indiana, Estados Unidos; Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília; Jos Barlow Lancaster University (United Kingdom); Toby Gardner Stockholm Environment Institute (Sweden); Manchester Metropolitan University (United States); Eduardo Brondizio Indiana University (United States); Leonora Pepper Yale University (United States).

 

4) PELD - Rede Amazônia Sustentável (PELD-RAS): Avaliando a resiliência da biodiversidade e do funcionamento ecológico das florestas antropizadas do leste da Amazônia

O PELD-RAS, Coordenado pela profª Joice Ferreira, se dedica a investigar as consequências que os distúrbios antrópicos causam, em longo prazo, sobre a biodiversidade e funcionamento das florestas da região leste da Amazônia. Duas questões científicas fundamentais direcionam o foco das pesquisas no sítio PELD-RAS: 1) Quais são as consequências, em longo prazo, dos distúrbios florestais sobre a biodiversidade e processos ecossistêmicos chave? 2) Qual a extensão da recuperação dessas florestas ao longo de uma trajetória de distúrbios sucessivos e com efeitos sinérgicos entre fatores de degradação e oscilações climáticas (por ex. El Niño 2015-16)? Além de permitir avanços na compreensão dos impactos dos distúrbios antrópicos em sinergia com fatores climáticos, o PELD-RAS permitirá o monitoramento a longo prazo do potencial das florestas antropizadas em recuperar ou resistir aos distúrbios, em particular queimadas e exploração madeireira. Parceiros: Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA); Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT); Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); Lancaster University, Reino Unido; Manchester Metropolitan University, Reino Unido; e Stockholm Environment Center, Suécia (SEI).

 

5) BIO-RED: Biomes of Brasil - Resilience, Recovery, and Diversity

O BIO-RED abrange os três maiores biomas do Brasil, a Mata Atlântica, a Floresta Amazônica e o Cerrado. A Rede de pesquisa aplicará uma abordagem multi-escala para avaliar as relações entre as funções destes três biomas, biodiversidade, resiliência e potencial de regeneração, face às ameaças de desmatamento e mudanças climáticas. Parceiros: Manuel Gloorand Oliver Phillips (Leeds); Fabien Wagner (INPE); Imma Oliveras (UNICAMP); Co-Is: YadvinderMalhi (Oxford), Jos Barlow, Fernando Espirito-Santo (Lancaster), Sarah Batterman, David Galbraith (Leeds); Luiz Aragão (INPE), Simone Vieira (UNICAMP); Named PDRA: Martin Sullivan (Leeds); Project Partners: Marcos Aidar (Institute of Botany); Joice Ferreira (EMBRAPA/PPGCA), Luiz Magnago (Lavras); Ben-HurMarimon-Junior (UNEMAT); Joao Meira Neto (Vicosa); Carlos Quesada (INPA). Neste projeto está associada da proposta de tese da doutoranda Amanda Estefânia de Melo (UFOPA/PPGCA).

 

6) Observatório das dinâmicas das interações entre as sociedades e meio ambiente na Amazônia – ODYSSEIA

Projeto financiado pela Comissão Europeia no âmbito do programa Ações Marie Skłodowska-Curie no âmbito da Investigação e Inovação Pessoal Exchange (RISE) Chamada: H2020-MSCA-RISE-2015. Trata-se de um observatório multi e interdisciplinar inovador para monitorar e avaliar as interações dinâmicas entre sociedades amazônicas e seus ambientes, os fatores determinantes da vulnerabilidade das populações locais aos choques ambientais e na avaliação de governança e arranjos institucionais visando a promoção da adaptação. Este observatório servirá como base para o desenvolvimento de políticas que integra dimensões sociais, ambientais, político-econômicas e saúde. Tem a participação da profª Joice Ferreira.

 

7) Rede ATDN e Projeto Barcode of tree species of the Amazon (Barcoding Caxiuanã)

Projeto coordenado pelo Dr. Hans ter Steege, Naturalis Biodiversity Center (Holanda) e com a participação dos docentes Ima Vieira e Leandro Ferreira e do discente Vitor Freitas. A Rede Amazônica de Diversidade de Árvores Amazon Tree Diversity Network (ATDN), criada em 2000 reúne cerca de 150 cientistas que detém perto de 1.500 parcelas bem distribuídas em toda a Bacia Amazônica e no Escudo das Guianas. O objetivo deste projeto é aplicar o "DNA barcode" para todas as morfo-espécies das parcelas permanentes (que compõem a rede ATDN) da Floresta de Terra Firme da Estação Científica de Caxiuanã (17 hectares) e no Herbário MG, do Museu Paraense Emilio Goeldi, localizados no estado do Pará. Com esta nova técnica, a maioria das espécies do banco ATDN pode ser identificada, e mesmo na ausência de um nome de uso corrente, pode haver comparação entre as parcelas. Além disso, a informação genética obtida pode ser usada para construir modelos sobre a história evolutiva da Amazônia.

 

8) Rede de pesquisa 2ndFOR

A Rede de pesquisa colaborativa de florestas secundárias que envolve 65 pesquisadores de 15 países diferentes. A rede tem foco em ecologia, dinâmica e biodiversidade de florestas secundárias, e serviços ecossistêmicos que provêm de paisagens tropicais modificadas pelo Homem. A rede 2ndFOR é coordenada pelo Prof. Lourens Poorter e Prof. Frans Bongers (Universidade de Wageningen, Países Baixos) e Dr. Danaë Rozendaal (Universidade de Regina, Canadá). E dezembro de 2016 houve a assinatura do protocolo de intenções entre o diretor do MPEG e o diretor do Naturalis Biodiversity Center de Leiden, Holanda, uma instituição acadêmica de pesquisa, de grande renome na Holanda, que recebe apoio do NWO – Netherlands Organizativo for Scientific Research in Earth and Life Science. Dentre as iniciativas visou-se o fortalecimento das relações entre os cursos de pós-graduação do MPEG, como o PPGCA e o de Botânica.

 

9) Projeto Mapping Amazonian Biodiversity at Multiple Scales by Integrating Geology and Ecology

Projeto desenvolvido pelo INPE e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo-FAPESP e tem como um de seus integrantes o docente do PPGCA Peter Mann de Toledo. O objetivo principal do projeto é o mapeamento da biodiversidade na Amazônia por uma combinação de novos métodos de sensoriamento remoto, dados de campo excepcionalmente amplos e internamente consistentes, e um profundo conhecimento da geologia da bacia amazônica e dos requisitos ambientais dos grupos de plantas selecionadas. O referido projeto tem um convênio com a University of Turku (UTU/Finland) e intercâmbio com a Profª Hanna Tuomisto.

 

10) Como as interações ecológicas são influenciadas pelas atividades mineradoras e seus esforços de restauração ambiental pós exploração no município de Paragominas, área degradada da floresta Amazônica. Projeto em rede envolvendo o Museu Paraense Emilio Goeldi, Universidade de Oslo, Universidade Federaldo Pará, Universidade Rural da Amazônia, Universidade do Oeste do Pará e Embrapa Amazônia oriental.Financiado pela empresa HYDRO, coordenado pela docente colaboradora Marlucia Bonifácio Martins, coma participação dos docentes Mário Jardim e Adriano Marlisson. O projeto se propõe a descrever e quantificar as redes deinterações presentes em uma área de floresta sob forte impacto antrópico, submetida a exploração debauxita e posteriormente recuperada por restauração ecológica com o objetivo de conservar a biodiversidade local. Período do projeto dezembro de 2017 a dezembro de 2021.